Brasil

Vice-líder de Bolsonaro na Câmara protocola pedido de impeachment de Hamilton Mourão, vice-presidente da República

Pastor que ocupa hoje a vice-liderança do governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados afirmou que o general tem assumido “conduta indecorosa”

Vice-líder do governo na Câmara, o deputado federal Marco Feliciano (Podemos-SP) apresentou e protocolou nesta terça-feira (16), um pedido de impeachment contra o vice-presidente da República, Hamilton Mourão. O pastor justificou o pedido pelo que chama de “conduta indecorosa” do vice do presidente Jair Bolsonaro.

“A nação não pode ficar à mercê dos maus governantes, da vaidade e do despreparo emocional daqueles que alçados a cargos de relevo se deslumbram com o poder”, escreveu Marco Feliciano . O documento possui 13 páginas e faz referências ao pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, escrito por Janaína Paschoal, Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior, há três anos.

O deputado federal Marco Feliciano protocola pedido de impeachment contra o vice-presidente Hamilton Mourão

Nas redes sociais, o vice-líder do governo na Câmara afirmou que entende que o pedido seja inédito, porque também considera inédita uma conduta de vice-presidência como a de Mourão. Para ele, o general vem “desdizendo” tudo o que Bolsonaro diz, o que seria “indelicado”

“Pela primeira vez, um deputado apresenta e protocola um pedido de impeachment ao vice-presidente da República. As pessoas que estão nos assistindo podem perguntar: ‘Mas como isso? Isso nunca aconteceu antes’. Mas nunca antes, nos primeiros 100 dias do governo de um presidente, um vice-presidente agiu de maneira tão indecorosa e indelicada, desdizendo tudo o que o presidente da República diz”, afirmou Feliciano.

“Quem acompanha a imprensa sabe que, nessa semana, o vice-presidente Hamilton Mourão acabou curtindo uma fala estranha de uma jornalista que vive para alfinetar o nosso presidente, dizendo que quando o presidente sai do País, o País de fato é governado. E lá vai o nosso vice-presidente e curte esse tipo de fala”, reclamou o pastor.

A declaração é uma referência a mensagens publicadas pela jornalista Rachel Sheherazade, do SBT, que criticavam Bolsonaro e que elogiavam Mourão . Mais tarde, a própria jornalista publicou outra mensagem celebrando que o vice-presidente tenha apoiado sua fala, curtindo a publicação.

“Ele esteve nos EUA nessa semana e, em Washington, ele aceitou um convite de uma instituição. No convite, que foi postado nas mídias, dizia exatamente assim: que o Brasil está desgovernado e a única pessoa que pode unir o Brasil é Mourão”, continua Feliciano, durante a sua apresentação.

O pastor ressalta ainsa que se recusa a chamar o vice-presidente de general, porque “no nosso governo ele é um civil”. E complementa, dizendo que, “o governo está caracterizado na pessoa do presidente da República e ele está empossado para isso”.

Por fim, Marco Feliciano faz uma referência às armas e diz que espera que tal pedido “seja apenas um recado”. “Não é um tiro para matar, é um tiro para o alto, um tiro de alerta. Tem alguém observando, senhor Hamilton Mourão”, encerra o vice-líder do governo na Câmara.

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Notícias relacionadas
Brasil

Bolsonaro pede que Congresso não suspenda decretos do porte de armas

Brasil

Lista "Não perturbe" impede que telemarketing realize ligações a consumidores cadastrados

Brasil

'Se quer levar mais de 10 quilos, pague, sem problema nenhum’, diz Bolsonaro após veto a gratuidade de bagagem

Brasil

Tacla Duran afirma "paguei para não ser preso" na Operação Lava-Jato

Inscreva-se na nossa Newsletter e
fique informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vale a pena ler...
Cássia Muleta participa de Dia de Campo em Tarilândia