Connect with us

Artigos

Tsunami de mentirinha – Professor Nazareno*

Publicada

em

Rondônia sempre esteve jogada à própria sorte

Não sei o que se passa na cabeça de alguns políticos. Outro dia tive o desprazer de ler na internet uma matéria falando que “Não há Energisa que resista a esse tsunami do bem”. A dita matéria se referia à pressão que a classe política de Rondônia estaria fazendo em Brasília para reverter o aumento criminoso de mais de 25 por cento nas contas de energia elétrica que a Aneel deu de presente para os otários dos consumidores rondonienses. Com fotos estampadas de vários políticos, o escrito tecia loas às autoridades e dizia também que “o resultado ainda não veio, mas quando a vontade política se alia ao bom senso e os poderes se unem em favor do povo, não há Energisa que segure”. Palavras ilusórias de políticos sonhadores soltas ao vento. Discurso de pura enganação. Só trouxa para cair nesta lorota de que político quer o bem do povo.

Os que defendem os rondonienses devem ser pessoas do bem, otimistas incorrigíveis e que certamente só querem o melhor para seus conterrâneos. Só que não percebem que a Energisa “está cagando e andando” para os rondonienses. O aumento absurdo de mais de 25 por cento está vigorando em todas as contas de energia elétrica e mais aumentos vêm por aí. E parece que os políticos que apareceram na reportagem nada podem fazer. Eu mesmo este mês já recebi o meu talão de luz e fiquei estarrecido com o valor. Gastei menos quilowatts e mesmo assim vou ter que pagar mais dinheiro para a Energisa. Isso sem ter tido um só centavo de amento em meu salário de professor. Para evitar problemas futuros, já quitei a conta absurda que me foi cobrada. E todos os rondonienses deveriam fazer o mesmo se não quiserem ter problemas com a Justiça.

Rondônia sempre esteve jogada à própria sorte. Nunca teve nenhum político que realmente tenha se interessado por esta latrina. Único Estado do Brasil que jamais foi administrado por um autêntico filho nascido aqui, Rondônia e os rondonienses parece que já se acostumaram a dar tudo que é seu para os forâneos. Construíram hidrelétricas, estupraram o nosso meio ambiente e nada nos foi dado em troca. Esse reajuste é um acinte contra o povo desta terra. É uma violência inexplicável. Um roubo mesmo. Na época do ciclo do garimpo, nosso ouro foi levado e só nos ficou o mercúrio no rio Madeira e a violência social em nossas periferias. Nos outros ciclos econômicos, a história se repetiu: “nada para os nativos, tudo para quem é de fora”. A Energisa é de Minas Gerais e está aqui para auferir lucros e mais lucros. Os rondonienses que pastem!

O tempo está passando e tudo infelizmente cairá no esquecimento como sempre. Assim como eu, muitos já pagaram a suas contas sem dar um pio. Tenho muita inveja do otimismo dessas pessoas sonhadoras. E tomara que o governador de Rondônia, senadores, deputados federais, deputados estaduais, prefeitos, Ministérios Públicos e o setor produtivo local estejam mesmo batalhando em nome do povo de daqui. Ainda assim, muitos rondonienses “não estão nem aí” para a sua própria desgraça. A Banda do Vai Quem Quer, por exemplo, além de ter produzido várias toneladas de lixo e seboseira, colocou mais de cem mil pessoas nas ruas durante o Carnaval. Enquanto isso, somente dez ou doze abnegados foram a essas mesmas ruas para protestar contra o roubo da Energisa e da Aneel. Dizer que “os bandeirantes de Rondônia estão como sentinelas avançadas” revela uma hipocrisia que nos faz pensar que temos dignidade.

*É Professor em Porto Velho.

Continue lendo
Anúncios
Comentários