Regional

SINGEPERON vai pedir a Sérgio Moro intervenção federal no Sistema Penitenciário de Rondônia

O Ministério da Justiça confirmou para Quarta-Feira, dia 14 de março, às 16 horas reunião entre a direção do SINGEPERON e o ministro da Justiça Sérgio Moro, a reunião acontecerá no Departamento Penitenciário Nacional em Brasília

Por ocasião da visita a Brasília, a presidente Daihane Gomes do SINGEPERON vai protocolar no Supremo Tribunal Federal expediente para que a corte atenda o pedido da Procuradoria Geral da República que peticionou demanda solicitando Intervenção federal nos presídios de Rondônia, sendo que Corte interamericana dos Direitos Humanos já pediu providencia urgente para o caos do sistema prisional do estado.

Segundo a Direção do SINGEPERON, a medida deverá ser apreciada em caráter de urgência com fins de se evitar uma iminente tragédia nas unidades prisionais, o que pode ocorrer com ou sem a presença dos agentes penitenciários nas unidades, considerando que já operam com baixíssimo e insuficiente efetivo e se veem expostos ao risco iminente de suas vidas.

Na reunião com Sérgio Moro, a direção da entidade vai relatar a atual crise que o sistema penitenciário do estado atravessa, tudo isso porque o governo do estado não honrou acordo firmado com a categoria, com a chancela do tribunal de Justiça. E vai pedir ao Ministro apoio pessoal para que a situação se resolva, inclusive espera contar com o apoio de Sergio Moro para que o sistema prisional de Rondônia sofra intervenção federal dado a inercia a incompetência e o despreparo de Marcos Rocha e sua equipe.

SINGEPERON

Notícias relacionadas
Regional

Instituto que atende população de Rondônia afirma sofrer perseguição do CREMERO

Regional

Deputado é flagrado pela esposa em boate gay, em Porto Velho

Regional

Saiba tudo sobre a sabatina da Assembleia aos nomes indicados para autarquias e fundações de RO

Regional

Radialista acusa governador Marcos Rocha de "arrebentar com Bolsonaro" em Brasília

Inscreva-se na nossa Newsletter e
fique informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *