Connect with us

Geopolítica

Senador paraguaio defende morte de 100 mil brasileiros que vivem no país; veja

Publicada

em

Compartilhe

Senador Paraguayo Cubas Colomes, do partido Movimento Cruzada Nacional, aparece em dois vídeos revoltado com madereiros brasileiros da região de Alto Paraná, perto da fronteira com o Brasil. Assista

Na última segunda-feira (25), o senador Paraguayo Cubas Colomes, membro do partido Movimento Cruzada Nacional, uma legenda pequena que tem como bandeira o combate à corrupção e à presença estrangeira no Paraguai, foi filmado na cidade de Minga Porá, no Departamento de Alto Paraná, perto da fronteira com o Brasil, chamando brasileiros de bandidos e invasores, informa a Folha de S.Paulo nesta quinta-feira (28).

“Bandidos brasileiros, bandidos! Invasores! Agora desflorestando o país”, berra. “Tem que matar aqui ao menos 100 mil brasileiros bandidos”, prossegue, mencionando que há 2 milhões de brasileiros vivendo no país.

O motivo da ira do senador paraguaio foi um caminhão carregado de madeira vindo de uma estância de “rapai” (termo informal usado no país em referência a brasileiros). Colomes, em seguida, pede “paredão” para os brasileiros que não têm “cortina de vento” (uma técnica de manejo florestal que tem como objetivo evitar que o vento carregue pesticidas para propriedades menores nas redondezas de grandes áreas de plantação de soja).

Em um segundo vídeo, o senador investe contra policiais que, segundo ele, estariam protegendo os brasileiros. Ele chuta um carro e chega a dar um tapa num policial, que não reage. Em seguida, furioso e proferindo xingamentos, arremessa um vaso no chão.

“Os vídeos geraram reação no Senado paraguaio, que discute a possibilidade de punição ao senador. Senadores pediram desculpas aos brasileiros pelas declarações do colega. Colomes é reincidente. Há alguns meses, recebeu uma suspensão por ter atirado um copo de água num colega durante uma discussão”, diz a reportagem.

O governo brasileiro está acompanhando o caso e avalia alguma medida formal de protesto contra o senador, informa a Folha.

LEIA TAMBÉM

Continue lendo
Anúncios
Comentários