Connect with us

Brasil

PGR recebe investigação sobre Flávio Bolsonaro por falsidade ideológica eleitoral e lavagem

Publicada

em

Procuradora Raquel Dodge decidirá se encaminha apurações ao Supremo ou se mantém caso na primeira instância. Em nota, senador disse que denúncia é ‘desprovida de fundamentação’

A Procuradoria-Geral da República (PGR) recebeu da Polícia Federal um inquérito que investiga o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) pela suposta prática de falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro.

O caso foi revelado por reportagem do jornal “O Globo” desta quarta-feira (6). As informações foram confirmadas com a Procuradoria-Geral da República.

O inquérito mira “negociações relâmpagos” de imóveis que, segundo as investigações, resultaram no aumento patrimonial de Flávio.

As suspeitas são que o senador lavou dinheiro por meio da compra de imóveis e declarou à Justiça Eleitoral o valor de um apartamento abaixo do preço real.

O caso corria em sigilo no Rio de Janeiro e foi remetido à PGR após Flávio ter sido eleito senador.

Em nota, Flávio Bolsonaro disse que a denúncia é “desprovida de fundamentação”. Afirmou ainda que foi feita por um advogado ligado ao PT “com o único intuito de provocar desgaste político oas adversários” (veja íntegra da nota ao final desta reportagem).

Agora, caberá à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, decidir se encaminha o caso ao Supremo Tribunal Federal (STF) ou se mantém as apurações na primeira instância.

A PGR informou que o caso será analisado “sob a ótica” do recurso julgado no Supremo que restringiu o foro privilegiado de deputados e senadores a crimes cometidos no exercício do mandato e relacionados à função.

Como as investigações foram abertas antes de Flávio assumir o mandato de senador, para o qual foi eleito em outubro do ano passado, a tendência é de o inquérito fique na primeira instância. Até 2018, ele era deputado estadual no Rio.

Com G1

Continue lendo
Anúncios
Comentários