Connect with us

Geopolítica

Macron lamenta declarações ‘extraordinariamente desrespeitosas’ de Bolsonaro sobre sua esposa

Publicada

em

“Acho que os brasileiros, que são um grande povo, estão um pouco envergonhados de ver esses comportamentos”, disse Macron

O presidente francês, Emmanuel Macron, lamentou nesta segunda-feira (26) os comentários “extraordinariamente desrespeitosos” de seu colega brasileiro, Jair Bolsonaro, sobre sua esposa, Brigitte, dizendo-se “triste por ele e pelos brasileiros”.

Bolsonaro fez “comentários extraordinariamente desrespeitosos sobre minha esposa”, disse à margem da cúpula do G7 em Biarritz.

“O que eu posso dizer a vocês? É triste, é triste, mas é em primeiro lugar triste para ele e para os brasileiros”, afirmou, acrescentando que espera que os brasileiros “tenham um presidente que se comporte à altura”.

“Acho que os brasileiros, que são um grande povo, estão um pouco envergonhados de ver esses comportamentos”, disse Macron.

Jair Bolsonaro endossou no domingo, no Facebook, um comentário ofensivo contra Brigitte Macron, enquanto um de seus ministros tratou o chefe do Estado francês de “cretino oportunista”.

Estes ataques sem precedentes marcam uma forte escalada nas tensões entre Brasília e Paris, intensificada nos últimos dias pelas pressões exercidas pela França, que sediou uma reunião de cúpula do G7, sobre Jair Bolsonaro para agir contra as queimadas na Amazônia.

Bolsonaro reagiu a um post tirando sarro do físico da primeira-dama francesa, comparando-a a Michelle Bolsonaro.

“Entende agora pq Macron persegue Bolsonaro?”, aparece escrito ao lado das fotos dos dois casais presidenciais. “É inveja (…) do Macron, pode crê”, escreveu o internauta Rodrigo Andreaça.

“Não humilha cara. Kkkkkkk”, reagiu em comentário o presidente brasileiro, falando do francês.

Na véspera do G7, Emmanuel Macron acusou Bolsonaro de ter “mentido” a respeito de seus compromissos com o meio ambiente e anunciou que a França agora se opunha ao controverso acordo de livre-comércio entre a União Europeia e o Mercosul.

Continue lendo
Anúncios
Comentários