Brasil

“Mourão está precocemente escalando o golpe contra Bolsonaro”, opina Ciro Gomes

Em entrevista à rádio Tribuna BandNews, ex-governador do Ceará e candidato derrotado na última eleição à presidente relembra o caso Queiroz e alerta para as atitudes do vice-presidente nos primeiros 50 dias de governo

Candidato derrotado na última eleição presidenciável, Ciro Gomes voltou a atacar o governo Bolsonaro nesta segunda-feira (25). Em entrevista à rádio Tribuna BandNews, de Fortaleza, o político do PDT disse que Jair Bolsonaro teve seus escândalos esquecidos com a tragédia de Brumadinho e afirmou que o vice-presidente, Hamilton Mourão, já está “precocemente escalando o golpe”.

Ciro Gomes chegou a chamar Mourão de “jumento de carga” durante as eleições. Desta vez, o político do PDT disse que deve respeito ao general pelo cargo de vice-presidente, mas ligou um alerta sobre as declarações do mesmo.

Ciro Gomes

“ Mourão está vendo a deterioração acelerada do Governo Bolsonaro e está querendo se legitimar como alternativa. Há 50 dias, isso é falta de lealdade (…).Ele é tão pouco respeitável que está flagrante e precocemente escalando o golpe contra o Bolsonaro”, afirmou.

Entre os assuntos tratados, Ciro afirmou que fará uma representação ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, para que o caso Queiroz seja esclarecido . O político disse que vai apenas esperar que o governo complete cem dias.

“Cadê a TED desse empréstimo? Cadê o contrato? Cadê o DOC da transferência? Cadê o cheque? Qual é a origem do dinheiro para emprestar 50 mil reais para um homem que ganha 20 mil por mês. É um assunto que envolve um presidente da República que estabeleceu a decência, o moralismo, o enfrentamento à ladroeira como sua razão de ser eleito”, disse.

Ciro Gomes se refere a Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro que, segundo o Coaf, fez transações bancárias suspeitas que, somadas, chegam a R$ 3 milhões. Em declaração, Jair Bolsonaro assumiu que já fez empréstimos ao investigado.

O candidato derrotado por Bolsonaro disse que a tragédia de Brumadinho, de certa forma, ajudou a conter as denúncias contra o presidente.

“Brumadinho aconteceu em um momento grave, em que você tinha o filho do presidente da república indiciado, ou pelo menos claramente envolvido, com milícias e com apropriação indébita de dinheiro e fortuna acima das suas posses”, defendeu Ciro.

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Notícias relacionadas
Brasil

Brasil está entre os piores países do mundo para trabalhador, aponta debate na CCJ da Câmara

Brasil

Governo quer conceder 16 mil km de rodovias à iniciativa privada

Brasil

31 delatores dão calote de R$ 120 milhões à Justiça

Brasil

Maia afirma que é frágil a defesa do governo sobre decreto do porte de armas

Inscreva-se na nossa Newsletter e
fique informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *