Connect with us

Brasil

“Mourão está precocemente escalando o golpe contra Bolsonaro”, opina Ciro Gomes

Publicada

em

Compartilhe

Em entrevista à rádio Tribuna BandNews, ex-governador do Ceará e candidato derrotado na última eleição à presidente relembra o caso Queiroz e alerta para as atitudes do vice-presidente nos primeiros 50 dias de governo

Candidato derrotado na última eleição presidenciável, Ciro Gomes voltou a atacar o governo Bolsonaro nesta segunda-feira (25). Em entrevista à rádio Tribuna BandNews, de Fortaleza, o político do PDT disse que Jair Bolsonaro teve seus escândalos esquecidos com a tragédia de Brumadinho e afirmou que o vice-presidente, Hamilton Mourão, já está “precocemente escalando o golpe”.

Ciro Gomes chegou a chamar Mourão de “jumento de carga” durante as eleições. Desta vez, o político do PDT disse que deve respeito ao general pelo cargo de vice-presidente, mas ligou um alerta sobre as declarações do mesmo.

Ciro Gomes

“ Mourão está vendo a deterioração acelerada do Governo Bolsonaro e está querendo se legitimar como alternativa. Há 50 dias, isso é falta de lealdade (…).Ele é tão pouco respeitável que está flagrante e precocemente escalando o golpe contra o Bolsonaro”, afirmou.

Entre os assuntos tratados, Ciro afirmou que fará uma representação ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, para que o caso Queiroz seja esclarecido . O político disse que vai apenas esperar que o governo complete cem dias.

“Cadê a TED desse empréstimo? Cadê o contrato? Cadê o DOC da transferência? Cadê o cheque? Qual é a origem do dinheiro para emprestar 50 mil reais para um homem que ganha 20 mil por mês. É um assunto que envolve um presidente da República que estabeleceu a decência, o moralismo, o enfrentamento à ladroeira como sua razão de ser eleito”, disse.

Ciro Gomes se refere a Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro que, segundo o Coaf, fez transações bancárias suspeitas que, somadas, chegam a R$ 3 milhões. Em declaração, Jair Bolsonaro assumiu que já fez empréstimos ao investigado.

O candidato derrotado por Bolsonaro disse que a tragédia de Brumadinho, de certa forma, ajudou a conter as denúncias contra o presidente.

“Brumadinho aconteceu em um momento grave, em que você tinha o filho do presidente da república indiciado, ou pelo menos claramente envolvido, com milícias e com apropriação indébita de dinheiro e fortuna acima das suas posses”, defendeu Ciro.

Continue lendo
Anúncios
Comentários