Connect with us

Brasil

Moro nomeia crítica a porte de armas como suplente em conselho e simpatizantes criticam

Publicada

em

Szabó será suplente de órgão do Depen. Ela discorda de decreto de Jair Bolsonaro

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, nomeou Ilona Szabó para ser suplente do CNPCP (Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária). A informação foi publicada na edição desta 4ª feira (27.fev.2019) do Diário Oficial da União.

Crítica ao decreto de Jair Bolsonaro (PSL) que flexibiliza a posse de armas, Szabó é cientista política, co-fundadora e diretora-executiva do Instituto Igarapé, especializado em políticas públicas de combate à criminalidade.

Moro reúne-se com a cientista política às 16h desta 4ª em seu gabinete no ministério.

Ilona Szabó foi nomeada por Sérgio Moro

Ligado ao Depen (Departamento Penitenciário Nacional), o CNPCP tem por objetivo fazer periódicas avaliações do sistema criminal, criminológico e penitenciário, bem como a execução de planos nacionais de desenvolvimento quanto às metas e prioridades da política a ser executada.

A indicação gerou revolta entre os apoiadores do decreto armamentista. Bene Barbosa, analista de segurança e maior incentivador do porte de armas no Brasil declarou que a nomeação de Ilona Szabó para o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária é uma medida arriscada para a execução das políticas contra o crime defendidas por Jair Bolsonaro.

“Ilona é o exemplo máximo, é a antítese de uma política conservadora de política pública de segurança. Vem defendendo tudo que é defendido pela esquerda para a segurança. E no meu entender, são essas políticas que nos trouxeram até o estado caótico da nossa segurança pública.”

Sérgio Moro não se pronunciou sobre as críticas.

Continue lendo
Anúncios
Comentários