Brasil

Moro garante que laranjal do PSL será “investigado”

Ministro da Justiça diz que casos envolvendo o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio e o ex-ministro Gustavo Bebianno estão sendo investigados

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse, em entrevista à rádio CBN , que as candidaturas “laranjas” do PSL nas últimas eleições estão sendo investigadas. De acordo com o ex-juiz, há “apurações preliminares” sobre o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio e o agora ex-ministro Gustavo Bebianno.

“Seria prematuro da minha parte realizar qualquer juízo de valor a esse respeito”, disse Moro sobre os colegas. No entanto, o ministro negou que será leniente caso a investigação avance. De acordo com ele, há uma confusão sobre o papel do ministro da Justiça nesses casos. “O presidente pediu uma investigação e isso foi passado para a Polícia Federal”, explicou. 

No final da tarde desta segunda-feira (18), o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, anunciou a demissão de Bebianno . A saída do ex-presidente do PSL do cargo de ministro foi oficializada no Diário Oficial da União desta terça-feira (19). Marcelo Álvaro Antônio segue no cargo. De acordo com Barros, Bolsonaro tomou a decisão de exonerar Bebianno por questões de “foro íntimo”.

Sérgio Moro garante que laranjal será investigado pelo MJ

O caso

Em denúncia no último dia 9 de fevereiro , o jornal Folha de S.Paulo informou que o PSL repassou verbas públicas para uma candidata a deputada federal em Pernambuco e quatro em Minas Gerais, suspeitas de serem candidatas laranjas, ou seja, candidatas que não fizeram campanha efetivamente. 

Os repasses teriam sido autorizados pelo ex-secretário geral da Presidência que foi presidente do partido durante o período eleitoral. Depois de ser acusado, o advogado tentou afastar os boatos de que estava mal visto pelo presidente afirmando que ambos conversavam com frequência. “Só hoje falei com o presidente três vezes”, disse na última terça-feira (12).

 Depois disso, na quarta-feira (13), o filho do presidente e vereador do Rio de Janeiro, Carlos  Bolsonaro, divulgou um áudio do pai afirmando que era uma “mentira absoluta” que ele teria conversado com o então ministro. A publicação foi repostada pelo presidente. Desde então, começou a pressão no Palácio do Planalto pela demissão de Gustavo Bebianno, o que só aconteceu nesta segunda-feira (18).

Outra reportagem mostrou que o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio , também teria repassado verbas de campanha a quatro possíveis candidatas laranjas de Minas Gerais. Os repasses também teriam sido autorizadospor Bebianno. 

Na última quarta-feira, Moro já havia falado sobre a investigação. “O senhor presidente proferiu determinação e ela está sendo cumprida. Os fatos vão ser apurados e eventuais responsabilidades após investigações vão ser definidas”, disse o ministro.

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Notícias relacionadas
Brasil

Eleito pelo NOVO pregando "fim dos privilégios", Zema faz 1 viagem aérea a cada 5 dias no governo de MG

Brasil

Bolsonaro promete novas regras para porte de armas de fogo

Brasil

Alexandre Frota é condenado a pagar R$ 50 mil a Gilberto Gil

Brasil

Temendo manifestação de caminhoneiros, Moro autoriza uso da Força Nacional na Esplanada dos Ministérios

Inscreva-se na nossa Newsletter e
fique informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *