Brasil

Moro garante que laranjal do PSL será “investigado”

Ministro da Justiça diz que casos envolvendo o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio e o ex-ministro Gustavo Bebianno estão sendo investigados

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse, em entrevista à rádio CBN , que as candidaturas “laranjas” do PSL nas últimas eleições estão sendo investigadas. De acordo com o ex-juiz, há “apurações preliminares” sobre o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio e o agora ex-ministro Gustavo Bebianno.

“Seria prematuro da minha parte realizar qualquer juízo de valor a esse respeito”, disse Moro sobre os colegas. No entanto, o ministro negou que será leniente caso a investigação avance. De acordo com ele, há uma confusão sobre o papel do ministro da Justiça nesses casos. “O presidente pediu uma investigação e isso foi passado para a Polícia Federal”, explicou. 

No final da tarde desta segunda-feira (18), o porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, anunciou a demissão de Bebianno . A saída do ex-presidente do PSL do cargo de ministro foi oficializada no Diário Oficial da União desta terça-feira (19). Marcelo Álvaro Antônio segue no cargo. De acordo com Barros, Bolsonaro tomou a decisão de exonerar Bebianno por questões de “foro íntimo”.

Sérgio Moro garante que laranjal será investigado pelo MJ

O caso

Em denúncia no último dia 9 de fevereiro , o jornal Folha de S.Paulo informou que o PSL repassou verbas públicas para uma candidata a deputada federal em Pernambuco e quatro em Minas Gerais, suspeitas de serem candidatas laranjas, ou seja, candidatas que não fizeram campanha efetivamente. 

Os repasses teriam sido autorizados pelo ex-secretário geral da Presidência que foi presidente do partido durante o período eleitoral. Depois de ser acusado, o advogado tentou afastar os boatos de que estava mal visto pelo presidente afirmando que ambos conversavam com frequência. “Só hoje falei com o presidente três vezes”, disse na última terça-feira (12).

 Depois disso, na quarta-feira (13), o filho do presidente e vereador do Rio de Janeiro, Carlos  Bolsonaro, divulgou um áudio do pai afirmando que era uma “mentira absoluta” que ele teria conversado com o então ministro. A publicação foi repostada pelo presidente. Desde então, começou a pressão no Palácio do Planalto pela demissão de Gustavo Bebianno, o que só aconteceu nesta segunda-feira (18).

Outra reportagem mostrou que o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio , também teria repassado verbas de campanha a quatro possíveis candidatas laranjas de Minas Gerais. Os repasses também teriam sido autorizadospor Bebianno. 

Na última quarta-feira, Moro já havia falado sobre a investigação. “O senhor presidente proferiu determinação e ela está sendo cumprida. Os fatos vão ser apurados e eventuais responsabilidades após investigações vão ser definidas”, disse o ministro.

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Notícias relacionadas
Brasil

Brasil está entre os piores países do mundo para trabalhador, aponta debate na CCJ da Câmara

Brasil

Governo quer conceder 16 mil km de rodovias à iniciativa privada

Brasil

31 delatores dão calote de R$ 120 milhões à Justiça

Brasil

Maia afirma que é frágil a defesa do governo sobre decreto do porte de armas

Inscreva-se na nossa Newsletter e
fique informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *