O mistério sobre o desaparecimento do recém-nascido Nicolas Naitz, que sumiu dentro de uma maternidade particular em Porto Velho, em maio de 2014, está às vésperas de completar cinco anos, e o caso segue sem solução.

Nicolas Naitz nasceu no dia 22 de maio, às 9h20, com 2,8 kg de parto normal, em Candeias do Jamari.

“De repente, de uma hora para a outra, o médico disse que levaria a criança para Porto Velho. E me disse: ‘Eu levo o bebê e você segue com a mãe em outra ambulância. Eu estranhei a atitude dele, mas é como dizem: ‘Conduta médica não pode ser questionada”, revelou a mãe que mora em Cujubim.

Cerca de nove horas depois, no entanto, o recém-nascido estaria morto, isto após passar por outros hospitais de Porto Velho, pelo menos é a informação que passaram a mãe.

Nesse meio tempo, inúmeras informações desencontradas convergiram às margens do dramático desaparecimento cujas incertezas perduram até hoje, e o corpo da criança nunca apareceu.

As investigações que eram conduzidas pela Polícia Civil (PC/RO) foram dadas por encerrada, e o caso permanece sem solução.

O deputado federal Lucio Mosquini após tomar conhecimento dos fatos se sensibilizou e tem buscado meios legais para ajudar a esclarecer o caso. “Precisamos saber de fato o que aconteceu com o bebê Nicolas, vamos reviver esse fato, a mãe dele merece respostas, o poder público tem que ser capaz de dar essas respostas a essa mãe”, disse o Deputado.

Após quase cinco anos enfrentando toda a ordem de frustração, Marciele Naitz Sampaio Pereira, mãe da criança, participou de uma reunião com a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, articulada pelo deputado Lucio Mosquini.

Marciele teve a oportunidade de relatar a história do desaparecimento de Nicolas para a Ministra, e contou com detalhes a sua luta silenciosa que no próximo dia 22 de maio completará cinco anos.

O deputado Lucio Mosquini pediu a Ministra Damares que a investigação seja federalizada. “Eu acredito que Nicolas está vivo, precisamos encontrá-lo e devolvê-lo a sua mãe”.

A Ministra Damares ficou impressionada com a história de Marciele, e garantiu que vai entrar nessa luta. A Ministra acionou a Secretária Nacional Adjunta dos Direitos da Criança e do Adolescente, Sra. Viviane Petinele, e solicitou que seja feito um retrato falado do bebê Nicolas, de como ele supostamente estaria hoje, com base no biotipo dos pais.

A Ministra quer usar o caso Nicolas Naitz na nova versão do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Marciele Naitz disse que o número de crianças sequestradas no Brasil é assustador, com base em dados repassados pela própria Ministra, Marciele disse que estimasse que 90 mil crianças estão sendo raptadas todos os anos no Brasil, e isso tem que acabar.

Damares elogiou a coragem, e sugeriu que Marciele Naitz seja colocada em um programa de proteção às testemunhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *