Connect with us

Brasil

Lava Jato tirou procuradora de audiência com Lula após crítica de Moro, revelam novas conversas

Publicada

em

Compartilhe

Novas mensagens trocadas entre procuradores de Curitiba e divulgadas hoje indicam que houve movimento para mudar escala de Laura Tessler após Sergio Moro avisar Deltan Dallagnol que a procuradora “não vai muito bem”

A força-tarefa da Lava Jato se movimentou para evitar que a procuradora Laura Tessler participasse da  audiência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o caso tríplex após o então juiz Sergio Moro ter criticado seu desempenho em mensagem ao coordenador da operação, Deltan Dallagnol. É o que sugere novas mensagens divulgadas nesta quinta-feira (20) pelo jornalista Reinaldo Azevedo, do Uol e da BandNews FM , em apuração conjunta com o site The Intercept Brasil .

Segundo os novos diálogos revelados, Dallagnol procurou outro integrante da força-tarefa, Carlos Fernando, minutos após ter recebido a seguinte mensagem de Sergio Moro [cujo teor já havia sido divulgado no último dia 9 ]:

Moro: Prezado, a colega Laura Tessler de vcs é excelente profissional, mas para inquirição em audiência, ela não vai muito bem. Desculpe dizer isso, mas com discrição, tente dar uns conselhos a ela, para o próprio bem dela. Um treinamento faria bem. Favor manter reservada essa mensagem. 

O então juiz de Curitiba teria enviado a mensagem às 12h32 do dia 13 de março de 2017. Às 12h42, Dallagnol recorreu ao seu colega para reproduzir o recado de Moro. Antes, o coordenador da força-tarefa expressou preocupação com a segurança daquele diálogo.

Deltan Dallagnol: Recebeu a msg do moro sobre a audiência tb? 
Carlos Fernando: O que ele disse? 
Deltan Dallagnol: Não comenta com ninguém e me assegura que teu telegram não tá aberto aí no computador e que outras pessoas não estão vendo por aí, que falo 
Deltan Dallagnol: (Vc vai entender por que estou pedindo isso) 
Carlos Fernando: Ele está só para mim. 
Carlos Fernando: Depois, apagamos o conteúdo…. 
Deltan Dallagnol: Prezado, a colega Laura Tessler de vcs é excelente profissional, mas para inquirição em audiência, ela não vai muito bem. Desculpe dizer isso, mas com discrição, tente dar uns conselhos a ela, para o próprio bem dela. Um treinamento faria bem. Favor manter reservada essa mensagem. 

Logo após a leitura de Carlos Fernando, Deltan demonstrou que pretendia agir para evitar novas reclamações semelhantes. “Vamos ver como está a escala e talvez sugerir que vão 2, e fazer uma reunião sobre estratégia de inquirição, sem mencionar ela”, disse Dallagnol.

A resposta de Carlos Fernando: “Por isso tinha sugerido que Júlio ou Robinho fossem também. No do Lula não podemos deixar acontecer”.

depoimento de Lula – o primeiro deles diante de Moro – foi tomado dois meses depois do diálogo. A audiência não contou com a presença da procuradora Laura Tessler e teve como representantes do Ministério Público Federal os procuradores sugeridos por Carlos Fernando: Júlio Noronha (Júlio) e Roberson Pozzobon (Robinho).

Moro esteve nessa quarta-feira (19) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado para explicar as mensagens reveladas nas últimas semanas. Ao ser questionado sobre a suposta mensagem criticando o desempenho da procuradora Laura Tessler, o hoje ministro da Justiça e Segurança Pública respondeu:

“Eu não me recordo especificamente dessa mensagem [na qual teria reclamado do desempenho da procuradora], mas o que consta no caso divulgado pelo site é uma referência que um determinado procurador da República não tinha o desempenho muito bom em audiência e para dar uns conselhos para melhorar. Em nenhum momento no texto há alguma solicitação de substituição daquela pessoa. Tanto que essa pessoa continua e continuou realizando audiências e atos processuais, até hoje, dentro da Operação Lava Jato .”

Nem o ministro Sergio Moro e nem a força-tarefa de procuradores que atuam em Curitiba se manifestaram até o momento a respeito das novas mensagens divulgadas.

Continue lendo
Anúncios
Comentários