Connect with us

Geopolítica

Governo havia feito até vídeo para comemorar entrada de Brasil na OCDE; Trump descumpriu

Publicada

em

EUA mantêm bloqueio ao Brasil na OCDE, apesar de promessa de Trump

O governo brasileiro havia feito (e divulgado no Twitter) um vídeo comemorando a entrada no Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), cuja cadeira havia sido prometida por Donald Trump ao presidente Jair Bolsonaro.

O problema é que na reunião do Conselho de Representantes OCDE nesta terça-feira (7) nos EUA, foi mantido o bloqueio ao processo de análise de ingresso do Brasil e de outros países no grupo, segundo o jornal Valor Econômico. Durante a visita do presidente Jair Bolsonaro aos EUA, em março, foi anunciado que os anfitriões iriam apoiar a entrada do Brasil, o que ainda não ocorreu.

O governo de Donald Trump elogiou a “posição de liderança” do Brasil em abrir mão do Tratamento Especial e Diferenciado (TED) em acordos da Organização Mundial do Comércio (OMC) para tentar entrar na OCDE, mas não fez nada mais direto para garantir esse acesso.

Bolsonaro anunciou em 19 de março que abriria mão do TED, que permite flexibilidade maior nos acordos comerciais, e em contrapartida Trump afirmou que daria “apoio para que o Brasil inicie o processo de acessão com vistas a tornar-se membro pleno da OCDE”. A reunião de hoje, a última antes da conferência ministerial nos dias 22 e 23 deste mês em Paris, era vista nos meios diplomáticos como a ocasião ideal para desbloquear a demanda do Brasil e de outros países que querem entrar na OCDE. 

O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações do Brasil, com os dizeres, “A OCDE congrega grande conhecimento e intensa participação na elaboração de políticas e práticas relacionadas à Ciência, Tecnologia e Inovação.A participação do Brasil na OCDE será de grande valia para o desenvolvimento tecnológico do país!”

A delegação americana afirmou, contudo, que não estava instruída para uma decisão sobre novos membros. Eles dizem que Trump apoia a entrada do Brasil, mas que a OCDE só deve aumentar seus participantes quando for modernizada – de acordo com o Valor, não há precisão sobre o que isso quer dizer exatamente ou quando aconteceria.

Existe uma proposta americana, feita em dezembro, para que a Argentina entre no grupo, assim como a Romênia, conforme desejo da União Europeia. Esse documento não foi alterado para incluir o Brasil ao lado dos vizinhos argentinos. Se o Brasil for incluído, os europeus devem querer outro representante do seu continente – a Bulgária também negocia sua entrada no bloco.

O ministro da Fazenda, Paulo Guedes, deve comparecer à conferência ministerial da OCDE este mês.

Continue lendo
Anúncios
Comentários