Connect with us

Brasil

Gilmar e Lewandowski pedem liberdade de Lula; Celso de Mello deve decidir

Publicada

em

Segunda Turma do STF vota nesta tarde o habeas corpus do ex-presidente; Cármen Lúcia e Edson Fachin já foram contrários à libertação de Lula

Os ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski pediram na tarde desta terça-feira (25), em audiência da segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF), a liberdade imediata do ex-presidente Lula.

Segunda Turma, por maioria, acolheu pedido de sustentação oral formulado pelo advogado do ex-presidente Lula no agravo regimental (recurso) em habeas corpus rejeitado monocraticamente pelo relator, ministro Edson Fachin.

Gilmar Mendes declarou:

“Diante das razões que eu expus, e do congestionamento da pauta, havia indicado o adiamento. Tem razão o nobre advogado quando alega o alongamento desse período de prisão diante da sentença e condenação confirmada em segundo grau. Como temos toda a ordem de trabalho organizada, o que eu proponho é de fato conceder uma medida para que o paciente aguardasse em liberdade a nossa deliberação completa. Encaminharia nesse sentido, se o colegiado assim entendesse.”

Ricardo Lewandowski concordou com Gilmar Mendes. O voto decisivo deve ser do decano Celso de Mello.

São dois os HCs em discussão na Segunda Turma. No primeiro, a defesa de Lula pede revogação de decisão monocrática do ministro Félix Fischer, do STJ, que rejeitara monocraticamente a absolvição. No segundo, o ex-presidente pede a suspeição de Moro e a consequente anulação de sua condenação em primeira instância.

A Hashtag #LulaLivreUrgente está em primeiro lugar nas Trend Topics do Twitter na tarde desta terça-feira. A bancada do PT está no STF aguardando a decisão da Segunda Turma sobre a liberdade de Lula .

Continue lendo
Anúncios
Comentários