Brasil

Fachin dá mais 30 dias para PF concluir investigações sobre propinas das usinas do Madeira a Aécio

Deputado do PSDB é investigado por supostamente ter recebido R$ 50 milhões para favorecer empreiteiras em Rondônia. Defesa diz que ‘não há qualquer elemento ou indício’ contra Aécio

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu mais 30 dias de prazo para a Polícia Federal concluir a apuração sobre a suposta atuação do deputado Aécio Neves (PSDB-MG) em favor de empreiteiras em obras em Rondônia.

Ao conceder o prazo, na última segunda-feira (11), Fachin atendeu parcialmente a um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), que havia pedido mais 60 dias de prazo.

Revista Veja Matéria: Lava Jato Personagem: Aécio Neves, senador Foto: Cristiano Mariz Data:29/03/2017 Local: Congresso Nacional – Brasília – DF

Aécio é investigado por supostamente ter atuado em defesa dos interesses da Odebrecht e da Andrade Gutierrez no andamento de projetos das usinas hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira.

Quando os depoimentos de executivos da Odebrecht se tornaram conhecidos, a defesa de Aécio divulgou a seguinte nota:

“Registramos que as obras das usinas hidrelétricas do Rio Madeira (usinas de Santo Antônio e Jirau) foram licitadas pelo governo federal, do PT, não havendo, portanto, nenhuma participação do governo de Minas. Em uma delas, em Jirau, a Cemig foi inclusive derrotada. Dessa forma, não há qualquer elemento ou mesmo indício de participação do senador Aécio Neves em favor da empresa.

Entenda o caso

Segundo as investigações, Aécio recebeu R$ 50 milhões por defender os interesses das duas empreiteiras.

A PGR sustenta que R$ 30 milhões foram repassados pela Odebrecht e os outros R$ 20 milhões, pela Andrade Gutierrez.

A Polícia Federal (PF) pediu mais prazo para finalizar o inquérito, alegando que ainda falta colher os depoimentos de quatro pessoas. Em manifestação enviada ao Supremo, a PGR concordou com o pedido e Fachin aceitou ampliar o prazo.

“Remetam-se os autos à Polícia Federal, a quem concedo o prazo de no máximo 30 dias para o término dessas medidas, sem prejuízo de outras diligências que se afigurem relevantes ao desate da hipótese criminal. Findo o prazo, determino sejam os autos conclusos a este gabinete, com relatório minudente”, escreveu Fachin.

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Notícias relacionadas
Brasil

Filha de Queiroz repassou 80% do salário na Câmara para o pai, aponta Coaf

Brasil

Araújo teve chilique por participação de Eduardo em encontro com Trump

Brasil

Bolsonaro faz reunião para analisar proposta de reforma dos militares

Brasil

PF prende doleiro envolvido em esquema do ex-governador Sérgio Cabral

Inscreva-se na nossa Newsletter e
fique informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vale a pena ler...
Integrantes do MST ocupam fazenda de João de Deus em Goiás