Brasil

Eleito pelo NOVO pregando “fim dos privilégios”, Zema faz 1 viagem aérea a cada 5 dias no governo de MG

O hoje governador Romeu Zema (Novo), de Minas Gerais, fez campanha eleitoral criticando duramente o uso de
aeronaves do estado pelos antecessores no cargo. Mas já fez 16 viagens em aeronaves oficiais, o equivalente a uma a cada cinco dias, entre 16 de janeiro e 29 de março, de acordo com dados do Portal da Transparência do governo de Minas divulgados nesta semana.

Os destinos mais constantes nas viagens do político do Novo foram os aeroportos Juscelino Kubistchek, em Brasília, e Romeu Zema, em Araxá (MG), que homenageia o avô do governador, em sua cidade natal, distante 36 km de Belo Horizonte.

Zema também utilizou aeronaves oficiais para seus deslocamentos entre Belo Horizonte e Brumadinho (MG), na região metropolitana de capital, após o rompimento da barragem da Vale, que em janeiro matou mais de duas centenas de pessoas no município.

Em vídeo após ser eleito, anuncia o “fim da farra dos aviões” e a venda do primeiro avião, “conforme compromisso assumido em campanha” “Nunca mais Minas vai ser o estado que vai ficar levando o governador e seus familiares para compromissos particulares. Temos de respeitar o dinheiro que o povo mineiro paga de impostos”, diz na filmagem.

“Coloquei à venda o primeiro avião da frota aérea que serviu aos ex­-governadores do estado. Está muito usado, mas bem conservado e com a manutenção em dia”, afirmou, ressaltando a “grande oportunidade” para quem quisesse adquirir o veículo.

O avião LearJet, fabricado em 1984, com capacidade para oito passageiros e dois tripulantes, e 4.720 horas de voo, foi posto à venda em fevereiro por R$ 2.226.700, por meio de licitação. Pouco mais de um mês depois, em 23 de março, foi comprado por uma empresa de táxi aéreo, por R$ 2.226.710. Um ágio de R$ 10 sobre o valor inicial.

LEIA A REPORTAGEM COMPLETA NO UOL

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Notícias relacionadas
Brasil

'Ninguém é obrigado a continuar como ministro meu', diz Bolsonaro sobre fala de Paulo Guedes

Brasil

Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, pagou R$ 64 mil à vista pela cirurgia no Einstein

Brasil

Bolsonaro cumpre agenda no Nordeste nesta sexta-feira

Brasil

Oposição avalia que não é hora para pedir impeachment de Bolsonaro

Inscreva-se na nossa Newsletter e
fique informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vale a pena ler...
Polícia Militar de Rondônia revoga lei do IPVA que está em vigor e segue prendendo geral