Connect with us

Geopolítica

Donald Trump chama de ‘golpe’ pedido de impeachment

Publicada

em

Presidente dos EUA acusa oposição de tentar ‘tomar o poder do povo’, em mensagens publicadas no Twitter

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chamou de “golpe” o inquérito de impeachment aberto na semana passada na Câmara dos Deputados. Em mensagem publicada nesta terça-feira (1º), o norte-americano acusou adversários de tentarem “tomar o poder do povo”.

“Como tenho visto cada dia mais, estou chegando à conclusão de que o que está sendo colocado não é um impeachment, é um golpe”, escreveu, no Twitter.

“Pretendido para tomar o poder do povo, seus votos, suas liberdades, a Segunda Emenda, religião, Forças Armadas, muro na fronteira, e os direitos dados por Deus aos cidadãos dos Estados Unidos da América”, completa a mensagem.

Em seguida, Trump divulgou um vídeo em que chama o processo de impeachment de “caça às bruxas” para “desfazer uma eleição”.

A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, abriu há uma semana um inquérito para o impeachment de Trump pela suposta tentativa de pedido de interferência da Ucrânia nas eleições de 2020. A oposição considera que o republicano pressionou o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, a investigar Joe Biden – ex-vice-presidente dos EUA e adversário político de Trump – e seu filho, Hunter Biden.

O Partido Democrata, de oposição ao presidente, tem maioria na Câmara dos Deputados. Estimativas da imprensa norte-americana apontam que os votos favoráveis ao impeachment já superariam os 218 necessários para levar o processo ao Senado.

Entretanto, para Trump deixar o cargo, dois terços dos senadores teriam de aprovar a cassação – e, diferentemente da Câmara, o Partido Republicano detém maioria no Senado.

Trump após entrevista à imprensa na quinta-feira (26) antes de embarcar no Air Force One, em Maryland — Foto: Foto: REUTERS/Jonathan Ernst

Secretário de Estado acusa perseguição

Um dia antes, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, afirmou que os congressistas democratas perseguem o seu gabinete, depois que a Câmara iniciou a investigação de impeachment contra Trump.

Em uma carta enviada ao Congresso, Pompeo disse que a citação da Câmara feita a ele e a outros diplomatas “só pode ser entendida como uma tentativa de intimidação, perseguição e uma forma imprópria de tratar renomados profissionais do Departamento de Estado”.

Com G1

Continue lendo
Anúncios
Comentários