Brasil

Carlos Bolsonaro empregou idosa, mãe de assessor em seu gabinete e ela nega ter trabalhado para o vereador

Nadir Barbosa Goes foi exonerada por Carlos Bolsonaro em janeiro, quando o pai assumiu a Presidência. Como oficial de gabinete, ela recebia remuneração de R$ 4.271 mensais

Reportagem de Ana Luiza Albuquerque e Catia Seabra, na edição desta sexta-feira (26) da Folha de S.Paulo, revela que uma mulher de 70 anos, moradora da cidade de Magé (RJ), a 50 quilômetros da capital fluminense, figurava até janeiro na lista de assessores do vereador Carlos Bolsonaro (PSC), filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Nadir Barbosa Goes, no entanto, disse à reportagem que nunca trabalhou para o filho de Bolsonaro.

Como oficial de gabinete, Nadir recebia uma remuneração de R$ 4.271 mensais. Ao receber ligação dos jornalistas, a idosa não quis responder quais atividades desempenhava e teria dito, ao final: “Fala com o vereador que eu não sei de nada”.

No início do ano, assim que o pai assumiu o Palácio do Planalto, Carlos fez uma limpeza em seu gabinete na Câmara. De janeiro a fevereiro, exonerou nove funcionários.

Nadir está entre eles. Ela é irmã do militar Edir Barbosa Goes, 71, assessor atual de Carlos Bolsonaro. A esposa dele, Neula de Carvalho Goes, 66, também foi exonerada pelo vereador logo após a posse do pai de Carlos na Presidência da República.

Leia a reportagem na íntegra

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Notícias relacionadas
Brasil

Deltan quebrou sigilo de termo de confidencialidade no caso Odebrecht ao passar informações para Moro

Brasil

Grupo de advogados pede prisão preventiva do Moro, Dallagnol e outros três

Brasil

Após renúncia de diretor e comentários de Bolsonaro, Joaquim Levy envia carta de demissão a Paulo Guedes

Brasil

Santos Cruz foi demitido por discordar de financiamento a blogs pró-governo

Inscreva-se na nossa Newsletter e
fique informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vale a pena ler...
Yanomami respondem a Bolsonaro: “Não somos pobres e não queremos garimpo”