Connect with us

Brasil

Bolsonaro demite Presidente da Embratur após ela reservar jantar de R$ 290 mil com Alceu Valença

Publicada

em

O presidente Jair Bolsonaro afirmou em live no Facebook, na noite desta quinta-feira (28), que o motivo da demissão da presidente da Embratur (Empresa Brasileira de Turismo), Teté Bezerra, teria sido o pagamento de R$ 290 mil ao cantor Alceu Valença, que cantaria em jantar patrocinado pela estatal. Diante disso, Bolsonaro mandou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, exonerar Teté do cargo. 

A cerimônia aconteceria na próxima semana. Segundo Jair Bolsonaro, o dinheiro sairia do valor do recurso sairia dos contribuintes brasileiros. “Não dá para admitir passivamente um gasto dessa dimensão (R$ 290 mil). Isso é um escracho para o povo brasileiro, que está cansado de pagar impostos. É dinheiro jogado fora”, disse o presidente. “(Diante dessa situação,) entramos em contato com o ministro do Turismo, e falei para ele cancelar o jantar. Além disso, pedi que cancelasse a função da presidente da Embratur”, declarou Bolsonaro, que estava ao lado do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, no vídeo. 

Na manhã desta sexta-feira (29), Bolsonaro voltou a repercutir o caso nas redes sociais. Em post no Twitter, o presidente disse que o governo atua na economia de recursos em diversas áreas. “Temos buscado dar exemplo com economia de R$ 35 milhões na compra de passagens aéreas anuais, redução de número de ministérios, cortes de milhares de (cargos) comissionados”, escreveu o chefe do Executivo brasileiro. 

Em live no Facebook, Bolsonaro afirmou que mandou demitir Teté Bezerra da presidência da Embratur por conta dos valores do patrocínio em jantar (Foto: Reprodução / Facebook)

Contradições

As declarações de Bolsonaro contradizem a versão de Teté, ex-deputada federal pelo MDB de Mato Grosso, e do próprio Ministério, porque, segundo eles, a saída da funcionária teria partido dela. Na quinta-feira (28), Teté entregou sua carta de demissão a Marcelo Álvaro Antônio. 

Segundo o blog de Tales Faria, do portal UOL, ela afirmou que tomou a iniciativa para “dar liberdade ao ministro para concluir sua equipe”. 
Em nota, o Ministério do Turismo afirmou que o pedido de exoneração foi aceito e que o ministro “agradece os trabalhos prestados e deseja sucesso nas próximas missões”. Ainda de acordo com o comunicado, o próximo presidente “será um nome alinhado com a gestão do presidente Jair Bolsonaro, que preza pela austeridade, economicidade e eficiência”. 

Teté Bezerra assumiu a presidência da Embratur em maio de 2018, ainda no governo Michel Temer, depois de ocupar por mais de dois anos o cargo de secretária nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Ministério do Turismo.

Continue lendo
Anúncios
Comentários