Connect with us

Geopolítica

Bolsonaro cancela viagem que faria a Nova York após polêmica sobre patrocínio em evento

Publicada

em

Presidente seria homenageado pela Câmara de Comércio, mas locais escolhidos pela organização se recusaram a receber evento; patrocinadoras também desistiram de homenagem

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência divulgou uma nota nesta sexta-feira (3) na qual informou que o presidente Jair Bolsonaro decidiu cancelar uma viagem que faria a Nova York (EUA).

Bolsonaro seria homenageado pela Câmara de Comércio Brasil-EUA, mas os locais escolhidos pela organização para a cerimônia se recusaram a receber o evento.

Além disso, empresas que patrocinam o evento desistiram de homenagear Bolsonaro, e o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, chegou a pedir a um dos locais escolhidos que não recebesse o presidente por considerá-lo um “ser humano perigoso”.

De acordo com a nota divulgada pela Presidência, assinada pelo porta-voz de Bolsonaro, Otávio Rêgo Barros, a viagem foi cancelada porque “ficou caracterizada a ideologização da atividade”.

O Banco do Brasil chegou a comprar uma mesa por pouco mais de R$ 42 mil.

O presidente Jair Bolsonaro — Foto: Marcos Corrêa/PR

Segunda viagem aos EUA

Esta seria a segunda viagem de Bolsonaro aos Estados Unidos desde que ele assumiu a Presidência da República.

Em março, ele esteve em Washington, capital do país, para se reunir com o presidente Donald Trump. Na ocasião, Bolsonaro também se reuniu com empresários e “formadores de opinião”.

Durante a viagem, Bolsonaro assinou um decreto que permitiu a cidadãos dos Estados Unidos entrar no Brasil sem necessidade de visto.

Segundo ele, enquanto brasileiros vão ao país em busca de trabalho, americanos não visitam o Brasil em busca de emprego.

Íntegra

Leia abaixo a íntegra da nota da Presidência:

NOTA À IMPRENSA

O Presidente da República agradece a homenagem proposta pela Câmara de Comércio Brasil-EUA, ao escolhê-lo “Personalidade do Ano de 2019”.

Entretanto, em face da resistência e dos ataques deliberados do Prefeito de Nova York e da pressão de grupos de interesses sobre as instituições que organizam, patrocinam e acolhem em suas instalações o evento anualmente, ficou caracterizada a ideologização da atividade.

Em função disso, e consultados vários setores do governo, o Presidente Bolsonaro decidiu pelo cancelamento da ida a essa cerimônia e da agenda prevista para Miami.

Otávio Santana do Rêgo Barros

Porta Voz da Presidência da República

Continue lendo
Anúncios
Comentários