Geopolítica

Bolsonaro cancela viagem que faria a Nova York após polêmica sobre patrocínio em evento

Presidente seria homenageado pela Câmara de Comércio, mas locais escolhidos pela organização se recusaram a receber evento; patrocinadoras também desistiram de homenagem

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência divulgou uma nota nesta sexta-feira (3) na qual informou que o presidente Jair Bolsonaro decidiu cancelar uma viagem que faria a Nova York (EUA).

Bolsonaro seria homenageado pela Câmara de Comércio Brasil-EUA, mas os locais escolhidos pela organização para a cerimônia se recusaram a receber o evento.

Além disso, empresas que patrocinam o evento desistiram de homenagear Bolsonaro, e o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, chegou a pedir a um dos locais escolhidos que não recebesse o presidente por considerá-lo um “ser humano perigoso”.

De acordo com a nota divulgada pela Presidência, assinada pelo porta-voz de Bolsonaro, Otávio Rêgo Barros, a viagem foi cancelada porque “ficou caracterizada a ideologização da atividade”.

O Banco do Brasil chegou a comprar uma mesa por pouco mais de R$ 42 mil.

O presidente Jair Bolsonaro — Foto: Marcos Corrêa/PR

Segunda viagem aos EUA

Esta seria a segunda viagem de Bolsonaro aos Estados Unidos desde que ele assumiu a Presidência da República.

Em março, ele esteve em Washington, capital do país, para se reunir com o presidente Donald Trump. Na ocasião, Bolsonaro também se reuniu com empresários e “formadores de opinião”.

Durante a viagem, Bolsonaro assinou um decreto que permitiu a cidadãos dos Estados Unidos entrar no Brasil sem necessidade de visto.

Segundo ele, enquanto brasileiros vão ao país em busca de trabalho, americanos não visitam o Brasil em busca de emprego.

Íntegra

Leia abaixo a íntegra da nota da Presidência:

NOTA À IMPRENSA

O Presidente da República agradece a homenagem proposta pela Câmara de Comércio Brasil-EUA, ao escolhê-lo “Personalidade do Ano de 2019”.

Entretanto, em face da resistência e dos ataques deliberados do Prefeito de Nova York e da pressão de grupos de interesses sobre as instituições que organizam, patrocinam e acolhem em suas instalações o evento anualmente, ficou caracterizada a ideologização da atividade.

Em função disso, e consultados vários setores do governo, o Presidente Bolsonaro decidiu pelo cancelamento da ida a essa cerimônia e da agenda prevista para Miami.

Otávio Santana do Rêgo Barros

Porta Voz da Presidência da República

Sobre o autor

Jornalista, editor de Painel Político, consultoria em comunicação
Notícias relacionadas
Geopolítica

Trump lança campanha para a sua reeleição

Geopolítica

CCJ aprova convite para Dallagnol explicar troca de mensagens com Moro

Geopolítica

Empresas brasileiras contrataram software espanhol para impulsionar campanha de Bolsonaro em 2018

Geopolítica

Bolsonaro diz que Brasil e Argentina podem ter uma moeda em comum

Inscreva-se na nossa Newsletter e
fique informado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *