Connect with us

Executivo

Áudio mostra Bolsonaro articulando derrubada de líder do PSL, diz revista

Publicada

em

Compartilhe

Após divulgação, Bolsonaro disse “achar uma desonestidade” o vazamento

Após um início de madrugada repleto de brigas pela liderança do Partido Social Liberal (PSL) na Câmara, um áudio gravado dentro do Palácio do Planalto mostra o presidente Jair Bolsonaro tentando convencer deputados a derrubar o Delegado Waldir do atual posto dele como líder da legenda.

Segundo o colunista Guilherme Amado, da revista Época, a conversa foi gravada na tarde da quarta-feira, antes da sequência de documentos a favor e contra a saída do Delegado Waldir e entrada do filho de Jair Bolsonaro, deputado Eduardo Bolsonaro, causar confusão no fim da noite.

“Estamos com 26 [assinaturas], falta uma assinatura para a gente tirar o líder e colocar outro. A gente acerta. Colocando outro agora, dezembro tem eleições para futuro líder. A maneira como tá, que poder tem na mão atualmente o presidente, o líder aí?”, questiona Jair Bolsonaro no áudio .

O presidente da República fala, ainda, que não é favorável à criação da lista, e sim a eleições diretas, “mas no momento você não tem outra alternativa”, garante. O Palácio ainda não se pronunciou sobre o assunto.

No momento, a liderança da legenda é incerta e a mesa diretora da Câmara, composta por sete pessoas, deve ser responsável pela decisão. Entre os membros da mesa estão o presidente da Câmara Rodrigo Maia e o presidente do PSL, Luciano Bivar .

Ativo nas redes sociais, Eduardo Bolsonaro ainda não tinha se pronunciado publicamente sobre as reviravoltas para a liderança do partido na manhã desta quinta-feira (17).

Antonio Cruz/ Agência Brasil
“Se alguém grampeou, é uma desonestidade”, diz Bolsonaro sobre áudio vazado

“Se alguém grampeou, é uma desonestidade”

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) evitou nesta quinta-feira (17) comentar o conteúdo do  áudio em que pede o apoio de deputados do PSL para destituir o líder do partido na Câmara, Delegado Waldir (GO), mas disse que, se o seu telefone tiver sido grampeado, ocorreu uma “desonestidade”. Bolsonaro afirmou apenas que conversou com parlamentares e que não irá tratar “publicamente” desse assunto. O áudio foi revelado na quarta-feira (16) pela revista Época .

“Eu falei com alguns parlamentares. Me gravaram? Deram uma de jornalista? Eu converso com deputados. Eu não trato publicamente desse assunto. Converso individualmente. Se alguém grampeou o telefone…Primeiro, é uma desonestidade”, disse Bolsonaro , na saída do Palácio da Alvorada.

Continue lendo
Anúncios
Comentários