Connect with us

Congresso Nacional

Alcolumbre lidera frente contra resistência a Eduardo Bolsonaro em embaixada

Publicada

em

Presidente do Senado, líder do governo na casa e ministro da Secretaria de Governo querem garantir votos já favoráveis e convencer senadores indecisos sobre indicação, que pode ser confirmada no mês que vem

Paralelamente ao beija-mão do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) a senadores, três atores políticos têm se dedicado à articulação pela aprovação do filho do presidente Jair Bolsonaro  à embaixada do Brasil em Washington.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o líder do governo na Casa, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), e o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos , trabalham para vencer as resistências ao deputado entre os senadores.  

Desde o retorno do Congresso no segundo semestre, em 1º de agosto, Ramos intensificou a agenda de reuniões com senadores. Nas últimas semanas, recebeu pelo menos 14 senadores em seu gabinete no Palácio do Planalto. É o que consta na agenda oficial do ministro. Entre os nomes, há três integrantes titulares da Comissão de Relações Exteriores (CRE), quatro suplentes e líderes de partidos e blocos no Senado. 

O foco inicial do governo é em senadores que se dizem indecisos ou não revelam seus votos. É o caso de Telmário Mota (Pros-RR), Jorginho Melo(PL-SC) e Mecias de Jesus (PRB-RR), todos recebidos por Ramos.  

Já Alcolumbre e Bezerra estão monitorando o clima entre os senadores diariamente, também com o mesmo foco nos ” indecisos “. Eles miram especialmente os senadores que, na rotina da Casa, não têm uma posição contundente contra Bolsonaro.  

Segundo relatos sobre abordagens de governistas, nas conversas, se prega que o governo tem boa vontade em dialogar com parlamentares e quer ter bom relacionamento, deixando as “portas abertas” de seus ministérios a eles.

Continue lendo
Anúncios
Comentários