Connect with us

Brasil

“20 continho caía bem”, diz Queiroz sobre nomeações no gabinete do senador Flávio Bolsonaro

Publicada

em

Compartilhe

Áudio obtido pelo jornal O Globo revela que, mesmo após escândalo, ex-assessor de Flávio Bolsonaro indica caminho para nomeações políticas em gabinetes

A repórter Juliana Dal Piva, do jornal O Globo, revelou nesta quinta-feira um áudio onde o ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, o conhecido Queiroz (Fabrício Queiroz) pode até não ter sido encontrado pelas autoridades para ser ouvido no caso da “rachadinha”, mas ele continua atuante e indicando nomes para o gabinete do agora senador.]

No áudio, Queiroz conversa com um interlocutor sobre a possibilidade de conseguir um cargo comissionado em algum gabinete da Câmara, “deputados e senadores fazem fila lá no gabinete do Flávio para falar com ele”. Queiroz também fala que “um salário de 20 continho caía bem”.

Fabrício Queiroz, ex-assessor do gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj, recebia quase 60% do salário de colega de gabinete; valor teria sido aplicado em compra e venda de carros Foto: Reprodução / SBT

Em conversa por áudio via WhatsApp do início de junho, Queiroz debate com um interlocutor a situação de cargos que podiam ser usados por aliados no Congresso. No diálogo, ele sugere que as indicações poderiam ser feitas por meio de comissões ou em gabinetes de outros deputados e senadores, e não apenas em cargos vinculados à família Bolsonaro. 

Queiroz é investigado pelo Ministério Público do Rio por suposta prática da rachadinha —  quando os servidores comissionados devolvem parte dos salários. Ele esteve no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio entre 2007 e 2018 e, no período, emplacou sete parentes na estrutura.

— Tem mais de 500 cargos, cara, lá na Câmara e no Senado. Pode indicar para qualquer comissão ou, alguma coisa, sem vincular a eles (família Bolsonaro) em nada — diz Queiroz, no áudio, para depois complementar: —  20 continho aí para gente caía bem pra c**.

CLIQUE AQUI para ler a reportagem na íntegra no GLOBO

Continue lendo
Anúncios
Comentários